Edital para asfaltar a BR-308 sai na quarta-feira

As obras na BR-308 devem durar 2 anos e já têm a licença ambiental e de instalação concedidas (Foto: Divulgação)
Considerada uma das rodovias mais perigosas do país, a Rodovia BR-308, no trecho que liga os municípios de Bragança e Viseu, nordeste paraense, vai ser finalmente asfaltada. Incluída no Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal (PAC), a obra vai receber recursos da ordem de R$ 185 milhões. O deputado federal Lucio Vale (PR), principal defensor da recuperação da rodovia, anunciou ontem que o edital para licitação e contratação das empresas que irão executar a obra será publicado no dia 20 de abril, próxima quarta-feira.
Para agilizar a execução do projeto, Lucio Vale incluiu dois trechos a serem licitados e executados concomitantemente: o primeiro de Viseu a Bragança e o segundo, em sentido contrário, Bragança a Viseu. “Conseguimos autorizar a licitação em dois trechos, nos dois sentidos, o que vai agilizar a obra”, explica o parlamentar. Vale ressaltou que a BR-308 é importante para a população de Viseu e para os moradores da região Sudeste do Pará. De acordo com ele, o prazo de execução da obra na rodovia é de aproximadamente 2 anos e a licença ambiental de instalação do empreendimento
já foi concedida.

RODOVIA BR-308 – OBRA DO PAC
A BR-308 foi incluída no PAC 2 em 2013. São 119,5 quilômetros de rodovia em difíceis condições de tráfego. 

Pavimentação encurta viagem Belém-São Luís

De acordo com o deputado federal Lucio Vale, a rodovia BR-308 já tem projeto executivo aprovado, faltava apenas a licença ambiental. “A pavimentação da rodovia é estratégica para o Estado, porque vai encurtar o percurso entre Belém e São Luís (MA) em cerca de 106 quilômetros”, explica.
Vale ressaltar ainda que o asfaltamento é um sonho acalentado pelos moradores da região, que sofrem com o caos que se tornou trafegar pela rodovia, por conta do lamaçal e das inúmeras pontes de madeira que colocam em risco a vida das pessoas. O parlamentar lembrou que a BR-308 é a única via de acesso de Viseu e de Augusto Corrêa ao restante do Estado.
“É necessidade urgente para nossa população mudar esse quadro e garantir melhores condições de tráfego a quem precisa e depende da rodovia”, completou.
(Luiza Mello/Diário do Pará)

Comentar

Seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*