Afastamento de Dilma repercute internacionalmente

destaque-367771-suspend
O afastamento por 180 dias de Dilma Rousseff da Presidência da República, aprovado na manhã desta quinta-feira (12) pelo senado, repercutiu no mundo inteiro, e ocupa lugar de destaque nas páginas principais dos principais veículos de comunicação do mundo.
O jornal The New York Times deu destaque ao Brasil, noticiando a aprovação da admissibilidade do processo de impechment e publicando também um guia “sobre o que está acontecendo no Brasil”.
O inglês The Guardian lembra que a presidenta afastada é também a primeira mulher chefe-de-estado do país.
O Wall Street Journal lembrou que Dilma é agora o segundo líder desde que a democracia foi restaurada em 1985 a ser afastado por um processo de impeachment.
The Washington Post lembra que o “maior país da América do Sul está enfrentando a mais grave retração econômica desde os anos 1930, e um enorme escândalo de corrupção que mancha quase todos os líderes políticos do Brasil”.
O argentino La Nación ressaltou que a presidenta fica afastada por 180 dias.
Já o norte-americano Huffington Post manchetou dizendo que “o golpe no Brasil está completo”.
O francês Le Monde publicou que o senado brasileiro afastou a presidenta “depois de uma maratona que durou até o início da manhã”.
O alemão Der Spiegel lembra que, com o afastamento de Dilma, assume o vice, Michel Temer.
Diário italiano, o La Repubblica também deu destaque à notícia.

O britânico The Independent também chamou a notícia sobre o BRasil em sua homepage.

O afastamento da presidente foi manchete no jornal argentino Clarín.
(DOL)

Deixe uma resposta